Aterro sanitário da Comunidade de Palmeiral em Esperantinopolis: aspectos e consequências para o meio ambiente

Moradores de Esperantinópolis e da comunidade de Palmeiral a 10 km de Esperantinópolis estão levantando inúmeros debates nas redes sociais em virtude de descarte de todos o lixo que é produzido na cidade de Esperantinópolis e que atualmente estão sendo despejados  na comunidade de Palmeiral devido a interdição do Aterro Sanitário Municipal de Esperantinópolis.O Blog Leila Alcântara se deslocou nesta tarde(14) até a comunidade de Palmeiral para verificarmos as vericidades dos fatos e comprovamos que o lixão de Palmeiral até conta com muito espaço para o descarte  do lixo pela Prefeitura Municipal de Esperantinópolis,mais o problema é que segundo os moradores  que residem próximo  ao lixão atualmente o aterro  é  o destino final dos resíduos  de todo o lixo da cidade de Esperantinópolis e da comunidade de Palmeiral , porém, devido ao funcionamento precário, é classificado como lixão a céu aberto. O chorume carbônico é lançado diretamente na atmosfera e a falta de tratamento do lixo prejudica a vegetação no entorno da comunidade. O mau cheiro também  já afeta as famílias que vivem próximo.

O Ministério Público de Esperantinópolis,havia decretada a imediata retirada do lixão, numa sentença expedida no dia 13 de dezembro de 2017 ,no entendimento da Justiça, o município não apresenta um Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, nem implantação de aterro ambientalmente adequado, por isso determinou num prazo de 180 dias, a partir da notificação, que a Prefeitura providenciasse  logo a retirada do lixão  que está localizado no povoado Formiguinha do devido local e o remaneje para um aterro apropriado. A decisão assinada pela juíza titular da Comarca de Esperantinópolis, Cristina Leal Meireles, fixa ainda a multa diária de R$ 10.000 para o descumprimento da sentença mais infelizmente a prefeitura não cumpriu a sentença resultando a interdição do lixão por moradores que residem próximo ao lixão.

Plano de gestão de resíduos

A Lei 12.305/2010 determina que os municípios que quiserem ajuda financeira do governo federal para dar um destino adequado ao lixo precisam ter o Plano de Gestão de Resíduos Sólidos, que inclui tratamento do lixo e reciclagem. O primeiro prazo para que as cidades se adequassem à lei foi agosto de 2012, mas a maioria dos municípios não conseguiu cumprir a exigência.

O dia 2 de agosto de 2014 foi determinado como data limite para que todos os lixões do país fossem eliminados e o lixo passasse a ser depositado em aterros sanitários.

Representantes,moradores  e líderes comunitários da comunidade de Palmeiral são contra a o descarte do lixo naquele local .Segundo eles, o chorume resultante do descarte do lixo na área ira afetar futuramente o Rio Mearim que está localizado pouco mais de 800 metros  do local do lixão.

Tocador de vídeo

00:00
00:44

3 ideias sobre “Aterro sanitário da Comunidade de Palmeiral em Esperantinopolis: aspectos e consequências para o meio ambiente”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.